Plantas medicinais que você pode ter em casa

0

As plantas medicinais são espécies vegetais que apresentam princípios ativos que auxiliam na cura ou tratamento de vários problemas de saúde. Por muito tempo, elas foram o único recurso disponível para prevenir e tratar determinadas patologias.

As plantas possuem esse efeito farmacológico devido às substâncias encontradas em sua composição. Dentre as principais propriedades medicinais podemos destacar: ação analgésica, antisséptica, digestiva, anestésica, anti-inflamatória e expectorante.

Um dos principais fatores que contribuem para a popularização do uso de plantas medicinais é seu baixo custo em comparação com os medicamentos encontrados nas farmácias. Inclusive, muitas espécies podem ser cultivadas em casa facilmente.

No entanto, é importante lembrar que seu uso não substitui, necessariamente, a ajuda de um profissional da saúde. Além disso, procure consumir apenas aquelas que possuem eficácia comprovada.

A seguir, confira alguns exemplos de plantas medicinais que você pode ter em casa, como cultivá-las corretamente e quais suas contraindicações.

04 plantas medicinais que você pode cultivar em casa

Existem muitas espécies que podem ser cultivadas, variando de acordo com os aspectos culturais e geográficos de cada região. Conheça as plantas medicinais mais comuns no Brasil.

01.Sálvia

era medicinal sálvia
A sálvia, além de poder ser usada na cozinha, é uma erva medicinal ótima para ter em casa!

A sálvia é uma planta originária do Mediterrâneo, mas muito utilizada pelas comunidades indígenas. Ela possui propriedades medicinais antioxidantes e anti-inflamatórias capazes de aumentar a imunidade e resistência corporal, auxiliando na prevenção de gripes, resfriados e inflamações.

Além disso, essa planta apresenta substâncias que contribuem para o funcionamento do sistema gastrointestinal, sendo indicada para aqueles que possuem dificuldade na digestão, diarréia ou excesso de gases.

Como cultivar: a sálvia pode ser cultivada a partir de sementes, por estaquia, alporquia ou por divisão de touceiras. Sua preferência é por locais com temperatura amena e que tenham incidência de luz solar direta por algumas horas diariamente. Para conhecer em detalhes como plantá-la, clique aqui.

Contraindicações: a sálvia não deve ser utilizada por gestantes, lactantes e pessoas com epilepsia.

02.Alfavaca

alfavaca ômega-3, bom para o colesterol
Ter um pé de alfavaca em casa sempre é útil, além de ajudar na decoração.

A Alfavaca é uma dentre as diversas plantas medicinais que podemos encontrar no cerrado brasileiro. Muito utilizada pelas comunidades que vivem onde o bioma se manifesta, ela é fonte de substâncias antioxidantes que promovem ação anti-inflamatória e vitaminas que fortalecem o sistema imunológico, nervoso e cardiovascular.

Ademais, suas folhas são ricas em ômega-3, ácido graxo importante para controlar o nível de colesterol e prevenir doenças cardiovasculares, como hipertensão.

Como cultivar: a alfavaca pode ser cultivada por mudas, sementes ou estaquia. É uma planta que prefere climas quentes ou amenos e são pouco resistentes ao frio. Além disso, se adaptam melhor aos solos mais soltos do que úmidos. Quer saber o passo a passo para cultivar essa planta? Clique aqui.

Contraindicações: como toda planta medicinal, a alfavaca pode causar alergias em algumas pessoas e o uso do seu óleo essencial pode provocar palpitações e sudorese. Aqueles que possuem hipertensão também devem evitá-la.

03.Carqueja

carqueja bom para digestão
A carqueja pode enfeitar a sua casa e ajudar quando você precisar!

A carqueja é uma planta originária do Brasil conhecida pelo seu amargor característico. No entanto, apesar do seu gosto, ela possui propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, hipoglicemiantes e depurativas.

Por ser nutritiva e rica em substâncias fitoterápicas, a carqueja pode ser utilizada para auxiliar no tratamento de diversas patologias, como: má digestão, prisão de ventre, gastroenterite, hipertensão, doenças do fígado, diabetes, entre outras.

É válido ressaltar que ela apresenta um alto teor de ferro, sendo uma grande aliada daqueles que possuem diabetes.

Como cultivar: a carqueja pode ser cultivada em sementes ou estacas. Ela se adapta muito bem a qualquer clima, mas necessita de luz solar constante. Ademais, precisa ser regada regularmente.

Contraindicações: a carqueja é contraindicada para quem tem pressão baixa ou diabetes, pois pode provocar a diminuição nos níveis de glicose no sangue. Além disso, também deve ser evitada durante a gravidez e a amamentação.

04.Capim-santo

capim limão ajuda a dormir
O capim-santo, também conhecido como capim-limão, possui efeitos analgésicos, além de regular a pressão arterial.

O capim-santo, também conhecido como capim-limão, é uma planta medicinal típica da amazônia. Seus principais componentes são o citral e o mirceno, responsáveis pela inibição de micro-organismos e efeito analgésico, respectivamente.

Essa planta também é fonte de flavonoides, fenólicos e terpenos, substâncias responsáveis por um efeito antioxidante. Entre os principais benefícios que o capim-santo nos proporciona, podemos destacar: regulagem da pressão arterial, diminuição do inchaço, alívio dos sintomas da gripe, melhora da digestão e regulagem do colesterol.

Como cultivar: na maioria das vezes, realiza-se o plantio do capim-santo retirando mudas de plantas já estabelecidas. Porém, se for da espécie Cymbopogon flexuosus, é possível utilizar as próprias sementes.

O capim-santo prefere climas úmidos e quentes. Além disso, precisa receber luz solar direta durante algumas horas por dia.

Contraindicações: em doses excessivas, o capim-santo pode causar sonolência, diarreia e fraqueza. Assim como as plantas anteriores, também deve ser evitado por gestantes.

Cuidados ao utilizar plantas medicinais

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% da população dos países em desenvolvimento utilizam práticas tradicionais nos seus cuidados básicos de saúde e 85% usam plantas medicinais ou preparações destas.

Esses dados comprovam que o consumo de ervas medicinais ainda é muito comum. Porém, muitas plantas que são tradicionalmente utilizadas, não possuem estudos toxicológicos comprovando que, de fato, não são prejudiciais ao corpo.

Algumas plantas são fortemente contraindicadas, como por exemplo o Confrei. Existem diversos estudos indicando que ele apresenta alcalóides que possuem ação carcinogênica, ou seja, pode estimular o aparecimento de câncer no organismo.

plantas medicinais em casa
Compartilhe esse artigo! A imagem acima pode ser compartilhada no Pinterest.

Portanto, fica a ressalva de nunca consumir nenhuma planta medicinal em excesso e evitar aquelas que não são conhecidas e estudadas. Uma sugestão é sempre consultar os documentos do Rename (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais) e Renisus (Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao Sistema Único de Saúde), neles estão listadas todas as plantas medicinais que são reconhecidas pelo Ministérios da Saúde.

Além disso, é importante lembrar que a maioria das plantas possuem alto teor abortivo, devendo ser evitadas ao máximo por gestantes.

Após a leitura esperamos que você tenha conhecido um pouco mais sobre o universo das plantas medicinais e como cultivá-las. Apesar da recomendação ser sempre procurar um médico, conhecer algumas plantas pode ajudar a amenizar sintomas e prevenir determinadas doenças.

Ficou com alguma dúvida ou conhece outras plantas medicinais? Compartilhe com a gente nos comentários!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Available for Amazon Prime