Como podar ervas para um resultado surpreendente

Saber como podar suas ervas e temperos é essencial para sua horta ser um sucesso. Se você errar ou fizer de qualquer jeito, pode enfraquecer e até mesmo matar sua planta.

Acho que essa foi uma das minha primeiras dúvidas quando comecei minha hortinha em vasos, na sacada do meu apartamento. Eu tinha comprado um manjericão, uma sálvia e uma arruda. Eu não tinha ideia de que precisava podá-las muito menos como fazer isso!

Vasculhei a internet até encontrar alguns sites que explicavam. Porém precisei ver um pouco em cada lugar, pois cada um tinha um pouco da informação sobre como podar as ervas corretamente.

Como foi difícil achar o que eu precisava, pensei que deveria compartilhar com vocês as informações mais importantes. Desta forma você poderá fazer a poda sem medo e não precisará perder o tempo que eu perdi.

Neste artigo você conhecerá os tipos de poda que pode fazer em suas ervas e temperos. Com estas dicas você saberá como podar o manjericão, o alecrim, a hortelã e diversas outras plantas do seu jardim.

Primeira coisa a saber: colheita não é poda

É importante deixar claro que colheita não é poda. Muita gente confunde ou mistura os assuntos. O que é compreensível, pois quando falamos de ervas, ao colher estamos fazendo uma poda.

Mas a principal finalidade da poda é manter a planta viva e vigorosa. Seja por questão de estética ou para que a planta se revigore. Ela também ajuda no controle de doenças e na floração.

Já a colheita tem como finalidade retirar da planta o que você precisa consumir, como o fruto, as folhas, os galhos ou mesmo a raiz. Claro que, como já falei, no caso das ervas a colheita acaba sendo uma poda, desde que faça do jeito certo!

Por que devemos podar as plantas

Todas as plantas crescerão melhor com uma poda apropriada. Normalmente esse é um assunto que deixa os novos jardineiros temerosos, mas você não deve se preocupar.

Apesar de não ser difícil, é importante ter um pouco de conhecimento sobre o assunto para não cometer erros irreversíveis. Não será nada agradável perder a planta por um pequeno detalhe, não é mesmo?

A poda ajuda a planta a crescer vigorosamente e se tornar mais densa. Fazendo a poda regularmente você garante uma colheita mais abundante e o crescimento contínuo da planta.

Outro ponto importante: à medida que as ervas envelhecem, elas desenvolvem caules lenhosos e menos folhas boas para colheita. Como a poda ajuda a retardar o envelhecimento, este é outro bom motivo para fazer a poda com frequência, uma vez a cada 1 ou 2 semanas.

E lembre-se: para aprender bem, só praticando. Depois de ler as dicas abaixo, mãos à obra. Mesmo que cometa alguns erros no começo, logo vai estar craque em fazer as podas!

Antes de iniciar a poda, limpe suas ferramentas

Uma coisa que você precisa ter em mente e que é super importante: saber como limpar as tesouras de poda. Uma ferramenta suja pode comprometer a sua planta!

Depois de podar uma planta você deve efetuar a limpeza da ferramenta novamente. Desta forma evitará que uma eventual doença de uma planta passe para a outra.

Você pode efetuar a limpeza, ou melhor, a desinfecção da ferramenta de poda de duas formas simples. É claro que podem existir outras formas mas estas são as que acredito serem mais eficazes e mais simples:

  • Álcool Isopropílico – Use um pano que não solte fiapos para isso. Basta umedecer o pano com o álcool isopropílico e passá-lo por toda a ferramenta, seja tesoura, faca ou alicate de poda. Não esqueça deve fazer isso em uma área muito arejada e de usar luvas!
  • Água Sanitária – Use uma solução com 1 parte de água sanitária para 9 partes de água. Mergulhe a ferramenta nesta solução por alguns minutos antes de usá-la. Não esqueça de secar bem para evitar que ela enferruje!

Também é importante fazer uma limpeza mais completa periodicamente. Saiba como fazer isso lendo nosso artigo que explica como limpar e afiar a sua ferramenta de poda.

Os tipos de poda

Como já falamos, existem vários motivos para você efetuar a poda. Vamos entender alguns destes motivos e como deve proceder.

Remoção de partes mortas ou doentes

Neste caso você deve identificar se o problema é só em algumas folhas ou se é no ramo todo. Sendo em algumas (poucas) folhas, basta removê-las. Se forem muitas folhas ou o ramo todo morto ou doente, corte o ramo rente ao caule ou ramo de origem.

A foto mostra um manjericão com uma das folhas amarelas, que deve ser removida.
Na foto acima você vê uma folha de manjericão já amarela, morta. Neste caso, bastou encostar nela que caiu. As folhas mortas devem ser removidas da planta.

Remoção das flores

Esta é uma parte muito importante, principalmente nos temperos e ervas aromáticas, pois as folhas normalmente tem maior importância.

As flores acabam “tirando energia” da planta, que as prioriza, tirando a força das outras partes. Além disso, as folhas perdem muito do seu aroma e sabor quando a planta floresce.

Depois de florescer, muitas plantas ficam fracas e algumas morrem, pois completam seu ciclo de vida. Se sua intenção é colher as folhas e manter a planta viva por mais tempo, sempre faça esta remoção.

Para remover as flores dos temperos e ervas aromáticas, basta cortar no início da haste que segura a flor. Atenção, não é o ramo todo, só a pequena haste que segura a flor!

Direcionamento do crescimento

Outro motivo da poda: direcionar o crescimento da planta. É natural que a planta cresça verticalmente e não se divida em muitos ramos. Quando você faz a poda acaba forçando-a a se dividir, tendo um crescimento “horizontal” maior. Ou seja, será uma planta mais cheia, com abundância de folhas.

Neste caso você precisa saber onde cortar para não matar a planta. E isso varia de acordo com o tipo da erva. Vamos explicar melhor como fazer com cada tipo, lembrando que só estamos falando dos temperos e outras ervas aromáticas.

Caule lenhoso

As lenhosas podem ser perenes, dependendo do clima em que são plantadas. Suas hastes ficam mais duras e mais amadeiradas à medida que envelhecem.

Como exemplos de erva lenhosa temos o alecrim, a sálvia, o tomilho e o orégano.

Para podar as plantas desse tipo, você deve escolher os ramos maiores e tirar aproximadamente 6 centímetros, a contar da ponta. O importante é que “sobre” uma boa parte do ramo, para que a planta continue seu crescimento.

Herbábeas

As herbáceas são frondosas e talvez precisem ser plantadas todo ano. Não importa o tamanho delas, as suas hastes sempre serão comestíveis e macias.

Foto mostra manjericão sendo podado com uma tesoura de poda.
A foto acima mostra onde você deve cortar, ou seja, logo acima de um par de folhas com os brotos (não remove os brotos!).

Como exemplo de plantas de caule semi-rígido temos o manjericão, a hortelã, o coentro e o dill. Neste caso você deve tomar cuidado com o local do corte, para não comprometer o ramo todo ou mesmo a planta inteira.

Você precisa cortar logo depois de um par de folhas. O que vai acontecer neste caso é que este par de folhas vai se transformar em dois ramos novos. Já se você cortar muito acima, deixando uma haste, o ramo vai parar de crescer. Em alguns casos a planta ficará comprometida.

A foto mostra um manjericão já podado, com um círculo vermelho dando destaque à parte que foi cortada, logo acima de um par de folhas com um par de brotos.
Este é o mesmo manjericão da foto anterior, já podado. Note que não ficou haste alguma depois do par de folhas e do par de brotos. Nesta parte, nascerão duas novas hastes.

Note que este processo é o mesmo da colheita, porém na colheita você pode tirar uma parte maior da planta.

Poda total

Quando você deseja colher tudo ou quando a planta está muito comprometida por causa de alguma doença ou infestação de bichos, a poda total é recomendada.

Você deve cortar o caule bem próximo à terra. Isso varia de planta para planta. A salsinha, por exemplo, deve ser cortada depois (acima) da primeira ramificação.

Poda de manutenção

A poda de manutenção serve para que sua planta fique saudável e tenha um aroma mais intenso.

Para a poda de manutenção você pode cortar os ramos mais longos de tempos em tempos. Mas remova apenas os dois últimos nós destes ramos. Assim, a energia da planta irá para os brotos laterais, fazendo com que a planta fique mais cheia e com talos menores.

Cuidados depois da poda

Aqui tem outro grande segredo. Pense na poda como se fosse uma cirurgia. Você precisará ter cuidados pós-operatórios com a sua planta para que ela se restabeleça bem.

A planta leva em torno de 4 a 5 dias para “se recuperar” da poda. Nestes dias não a submeta a nenhum estresse desnecessário, como falta de rega ou rega em excesso, transplante, alteração na iluminação ou mesmo outras podas.

Deixe-a descansar um pouco antes da próxima poda. Ela irá retribuir com muitas folhas e muito sabor!

Agora que você já tem uma boa noção de como fazer, pode sua planta sem medo. Você perceberá que é muito simples e fácil. Em pouco tempo estará vendo o ótimo resultado em sua horta!

Leave a Reply